Ideias e projetos

Bolsa de Parceiros LIFE

Magyar Suzuki Corporation
Energia Mitigação das alterações climáticas

Informação recebida do Ministério da Inovação e da Tecnologia húngaro:

"Hereby, I share with you the project abstract of the Hungarian Suzuki Corporation, who is in search of potential transnational project partners under Climate Change Mitigation (Energy) Priority Area under the Call 2018.

LIFE Project Abstract

1. Sub-programme: LIFE Climate Change Mitigation (CCM)

2. Sector: CCM Energy

3. Member State of the coordinating beneficiary: Hungary

4. Expected duration: 2 years (2019.07.01-2021.06.30.)

5. Coordinating beneficiary: Magyar Suzuki Corporation

6. Expected total project budget – EU financial contribution requested: 5.200.000 EUR – 2.860.000 EUR

7. Short summary and aim of the project: Within the project, an innovative prototype flexible photovoltaic panel would be installed and tested on an area of about 19.900 m2 on the territory of Magyar Suzuki Corporation. The aim is to convert part of the power plant's energy production to renewable energy that would significantly decrease the carbon footprint of the car manufacturing plant in Esztergom and showcase an ultra-lightweight, unique technology with high energy yield. In order to disseminate the project results, effective communication actions would be realized too.

8. EU legislation background:
- Directive 2008/50/EC on ambient air quality and cleaner air for Europe
- Directive 2009/28/EC on the promotion of the use of energy from renewable sources and amending and subsequently repealing Directives 2001/77/EC and 2003/30/EC

9. Projects whose results the project is planned to be built on: e.g. LIFE PHOSTER, LIFE Factory Microgrid, LIFE BIPV"

Centro de Investigação LEAF (Green and Blue Infrastructures Thematic Line)
Geral LIFE Água Biodiversidade Espécies Gestão Ambiental Ordenamento do Território

Descrição

A Linha de Investigação Infraestruturas Verdes e Azuis (Green and Blue Infrastructure Research Line) resulta de um processo de integração do antigo Centro de Estudos de Arquitectura Paisagista "Prof. Caldeira Cabral" e de outras três unidades de I&D do Instituto Superior de Agronomia, numa unidade maior, LEAF - Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (Linking Landscape, Environment, Agriculture & Food).

Estrutura

A Linha de Investigação Infraestruturas Verdes e Azuis inclui membros dos Grupos I e III do LEAF, nomeadamente arquitectos paisagistas, fitossociólogos e agrónomos com várias especializações (litologia / geomorfologia, protecção do solo, vegetação e culturas agrícolas, conservação da vegetação, água). Esta equipa coopera ainda com investigadores de outros grupos do LEAF e de outras unidades de investigação. 

Objetivos

Elaboramos planos de paisagem / de ordenamento do território a todas as escalas e visamos, em particular, a criação de infraestruturas verdes e azuis, desde o planeamento e concepção até recomendações de implementação e gestão. 

Seguindo as últimas recomendações da UE, o principal objetivo da linha de investigação é promover a implementação do conceito de Infraestrutura Verde em Portugal e países da CPLP. 

As Infraestruturas Verdes e Azuis destinam-se a:

  • Melhorar o funcionamento dos ecossistemas e promover serviços de ecossistema;
  • Promover o bem-estar e a saúde da sociedade;
  • Apoiar o desenvolvimento de uma economia verde e a gestão sustentável da terra e da água.

Estas infraestruturas incorporam espaços verdes (ou azuis, no caso dos ecossistemas aquáticos) e outras características físicas nas áreas terrestres (incluindo costeiras) e marinhas.

A nossa base de trabalho é a Estrutura Ecológica Nacional delimitada no âmbito do projeto “Estrutura Ecológica Nacional - uma proposta de delimitação e regulação” e disponibilizada na plataforma EPIC WebGIS Portugal (http://epic-webgis-portugal.isa.ulisboa.pt/). A Estrutura Ecológica equivale ao conceito de Infraestrutura Verde e integra todas as áreas responsáveis pelo equilíbrio ecológico.

O projecto “Ordenamento Potencial da Paisagem de Base Ecológica. Aplicação a Portugal” veio complementar o anterior com informação cartográfica sobre aptidão da paisagem às actividades humanas, nomeadamente, agricultura, floresta, pastagens, conservação da natureza e áreas urbanas.